Querem saber como fazer a “receita dos uns” mais fácil, mais rápida e mais maravilhosa do planeta Terra e arredores?

Eu partilho convosco, só não vale fazer cara feia às nossas super-apreciadas ervilhas, ok?

Esta é uma receita que para além de ser super-fácil e mega-saborosa, é super-saudável e promete deixar um perfume maravilhoso na vossa cozinha! De textura aveludada e sabor intenso, este creme de ervilhas é absolutamente irresistível e inesquecível quando finalizamos com a nossa Granola Salgada Premium. O contraste de texturas, a crocância dos frutos secos e da cebola frita da nossa granola vão-vos colocar no patamar das estrelas Michelin!

Andava há imenso tempo com vontade de fazer um creme de ervilhas, hoje por um qualquer motivo ou amanhã por outro, a verdade é que estava a demorar e até os Marias já andavam impacientes com a promessa daquele super-fantástico creme que eu tanto acenava ao fundo de que iriamos experimentar, mas ver cair dentro do prato, nada!

Foi assim que, mesmo já com a reserva das nossas ervilhas congeladas muito por baixo, me atirei a uma lata das grandes e fiz acontecer!

Em toda a minha vida devem contar-se pelos dedos de uma mão, as vezes que comprei uma lata de ervilhas, mas há dias e já com esta na ideia de fazer o creme prometido, ao passar na zona dos enlatados do supermercado acabei por trazer uma, ainda que um pouco hesitante, sem saber se não deveria antes ter optado pelo belo do saco de ervilhas congeladas.

Cá na quinta na altura das ervilhas arranjamos vários sacos depois de as debulharmos das vagens e congelamos para irmos usando durante o ano, mas nem sempre a nossa jornada de apanha, separação e reserva é suficiente para o gasto, já que usamos esta leguminosa cá em casa com alguma frequência quer na preparação de um prato tuga por cá muito apreciado – ervilhas com ovos escalfados- como nas muito frequentes empadas de frango e legumes ou até mesmo no arroz de ervilhas!

Mas voltando então ao dito creme e à promessa feita da super-mega-fantástica “receita dos uns”!

Estava decidido. De hoje não passava! Depois de uma breve pesquisa de receitas pela internet e sem que nenhuma me tivesse convencido, mas retirando uma ideia dali e outra daqui, fui arriscar a minha versão.

Posso vos garantir que sem medos, tragam de lá essa lata! O resultado foi mesmo super-fantástico. Superou em muito qualquer expectativa o que não era fácil face ao tempo que deixei os miúdos a idealizar o resultado. Para além disso não tendo usado ervilhas frescas acredito que ainda pudesse ter sido melhor! Mas para quê exigir melhor, quando o que vi foi a super-satisfação de todos?!

INGREDIENTES:

  • uma lata grande de ervilhas escorridas e passadas por água
  • um chuchu grande descascado e cortado em cubos
  • um alho francês enorme ( aqui na quinta a terra tanto nos presenteia com “amostras de” como no oferece fenómenos do Entroncamento! Usei um alho francês que depois de limpo pesava 280g) cortado às rodelas
  • uma courgete com casaca lavada e cortada aos cubos
  • duas c. sopa de azeite virgem extra (1 para refogar e 1 para finalizar)
  • 1,4 L de água a ferver ( eu como tinha um resto de caldo de carne de ter cozido frango usei metade de água da torneira e metade do caldo que estava reservado)
  • coentros a gosto (nós gostamos muitooooo por isso sou generosa!)
  • pimenta e sal q.b.
  • Granola Salgada Premium

PREPARAÇÃO:

1- Num tacho de base larga coloquei uma colher de sopa do nosso azeite, e juntei todos os legumes devidamente lavados, escorridos e partidos, para refogar em lume brando. Como libertam muita água não vão dourar. O objectivo é que os legumes vão adquirindo uma aspecto macio, quase cozidos no próprio suco que vão libertando no tacho.

Tenho especial atenção ao alho francês para que na altura de triturar a sopa não fique cheia de fios que não acho agradável, por isso corto-o sempre em rodelas finas.

2- Quando já estavam macios, adicionei a água a ferver e retifiquei o tempero ao meu gosto. Como usei ervilhas de lata e parte de um caldo de cozer frango que tinha guardado no frigorifico, não precisei de usar senão uma pitada de sal e um pouco de pimenta preta moída no momento. Deixei ferver durante 10 minutos ao fim dos quais desliguei o lume e passei a sopa até obter um creme bem aveludado! Adicionei por fim a outra c.sopa de azeite e mexi com a concha da sopa.

Como gostamos muito do sabor dos coentros foi só a meio daquela fervura que acrescentei duas mãos bem cheia destes ( usei os caules também, apenas lavo-os muito bem e retiro os caules mais grossos, tudo o resto vai para o tacho!) e reservei apenas umas folhinhas para a decoração final.

3- O creme estava pronto! Servi em taças e finalizei com a nossa Granola Salgada Premium e umas folhinhas de coentros.

Como a gulodice da família não se esgota com facilidade e porque há uns tempos uma amiga me tinha oferecido uma caixa de bacon frito trazido dos estates, que o mesmo é dizer, dos Estados Unidos da América, e ainda não tínhamos encontrado um bom motivo para a estrear, pareceu-me muito oportuno colocar ao critério de cada um dos Marias a hipótese de acrescentar uma facada calórica aquela super-saudável receita made by me!

Como deu entusiasmo para repetir, todos provamos a versão com e sem bacon, mas apesar de ter a noção que as taças ficaram mais fotogénicas com a combinação de cores do bacon acabamos por concordar que podíamos ficar com a versão mais light porque estava igualmente gulosa!

Os Marias fizeram-me prometer que iria fazer um apontamento do passo-a-passo desta receita para que eles mesmos pudessem reproduzi-la, o que digamos que é um mega-elogio quando muitas das raras vezes que dou a opção à refeição de eles comerem ou não sopa, escolhem discretamente passar ao lado, saltando diretamente para o prato principal!

E vocês, vão fazer este creme de ervilhas?

Partilhem comigo o vosso resultado e digam-me se não conseguiram converter a vossa família ao clube deste creme de ervilhas!

NOTAS DE INTERESSE:

As ervilhas são leguminosas que contêm fibra, hidratos de carbono e proteína, bem como várias vitaminas do complexo B, e minerais como potássio, fósforo e ferro. Devido ao seu teor em fibra atuam na regulação do trânsito intestinal, para além de terem a capacidade de diminuir o colesterol e a glicose no sangue. Uma vez que têm um grande poder de saciedade, poderão ser benéficas em dietas de controlo de peso.

Podem com facilidade ser encontradas no mercado na versão frescas, congeladas ou em lata, e todas elas são excelentes opções mas devemos ter em consideração que as enlatadas, por serem uma conserva, têm sal adicionado, pelo que devemos ter em conta essa quantidade aquando da preparação dos nossos pratos.

, , , , ,